Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Miss Chia

Nutrition & Beauty Adviser, Brand, Spa and Clinic Consultant, Events Organizer, Public Relations, Marketing & Branding

Miss Chia

Nutrition & Beauty Adviser, Brand, Spa and Clinic Consultant, Events Organizer, Public Relations, Marketing & Branding

O poder da Beterraba

Há quem adore, ou simplesmente desteste o sabor característico da beterraba. Sabia que a beterraba é um  tubérculo?

Fácil de identificar pela cor e sabor.

É um alimento de baixo valor calórico, contém apenas 40 calorias por cada 100 gramas. É uma comprovada fonte de antioxidantes, como carotenoides e flavonoides, além de diversos minerais, tais como ferro, sódio, zinco, potássio e magnésio. E ainda vitaminas A, complexo B e vitamina C.

A beterraba apresenta uma cor arroxeada (há quem diga cor avermelhada), devido à presença da betaína, um aminoácido que contribui para a saúde cardiovascular. Saiba também que possui uma ação anti-inflamatória, revitalizante e diurética, sendo um desintoxicante natural e purificante.

Além disso, a beterraba é também fonte de fibra dietética que ajuda na digestão. O consumo deste legume traz benefícios para a pele, fígado, coração, melhora a digestão, previne gripes e é um bom aliado na prevenção de certos tipos de cancro.

Cada vez, surgem mais receitas que utilizam este tubérculo, com sopas, sumos detox, saladas e até em bolos...

 

 

Artigo original escrito para o site da F Magazine Luxury: http://www.fmagazineluxury.com/pt/health/nutricao/2038-beterraba.html

 

 

Reduzir a gordura Abdominal e Celulite, com a Alimentação

Artigo escrito para o site da F Magazine Luxury, visitem www.fmagazineluxury.com e tenham acesso a mais conteúdos, ou através da APP gratuita acesso a todas as edições da revista, disponível em Android & IOS: http://fmagazine.mobi-shout.com

 

Cada vez mais, utiliza-se a alimentação com fins terapêuticos, de forma a ajudar em patologias. E, comprovadamente, a alimentação saudável tem potencial terapêutico e pode prevenir e até contribuir para a cura de certas doenças.

Neste caso, não abordamos doenças, mas sim o sentido estético: gordura abdominal e celulite. A seguir, deixamos uma lista de alimentos que contribuem para a redução de ambos os casos.

Iogurte

Por ser rico em lactobacilos (bactérias benéficas), ajuda a reduzir a gordura abdominal. Ingerido todos os dias, melhora o funcionamento do intestino, facilitando a eliminação de toxinas (que contribuem para a celulite – que é uma inflamação).

Abacaxi

É uma fruta diurética, que contém bromelina, poderosa enzima que facilita a digestão e melhora a circulação.

Proteínas magras (carnes brancas)

Estimulam o metabolismo e possuem grande efeito térmico, o que faz gastar mais calorias para serem digeridas.

Alimentos integrais

São ricos em fibras, que evitam a alta liberação de insulina, hormona produzida pelo pâncreas, que em excesso estimula o corpo a armazenar gorduras.

Azeite e linhaça

Por serem ricos em gordura monoinsaturada, ajudam a redistribuir a gordura corporal, diminuindo a circunferência abdominal. Possuem ação anti-inflamatória importante para prevenção da celulite.

Pimenta

Tem ação termogénica, que contribui para a redução das células adiposas.

Aveia

Cereal rico em fibras, que melhora o trânsito intestinal. Além disso, é rico em crómio, mineral que ajuda a queimar as gorduras localizadas na zona abdominal. A propriedade de combate à celulite fica por conta do silício, substância que reduz a absorção do açúcar no sangue e também aumenta a produção do colagénio.

Vegetais de folhas verdes escuras

São ricas em fibras, que diminuem a absorção de gordura e de açúcar e facilitam o bom funcionamento do intestino.

 

Ver artigo original, e outros escritos por mim, em: http://www.fmagazineluxury.com/pt/health/nutricao/2010-reduzir-a-gordura-abdominal-e-celulite.html

 

 

Alimentação Saudável

Artigo para o site da F Magazine Luxury: 

http://www.fmagazineluxury.com/pt/health/nutricao/1944-alimentacao-saudavel.html

 

Cada vez mais, existem adeptos duma alimentação saudável e cuidada.Cuidados que passam por um ajuste da alimentação ao estilo de vida, que pode passar pelo ginásio, ou apenas por escolhas alimentares mais ponderadas.

Muitas pessoas ainda têm o preconceito e pensam que alimentação saudável é sinónimo de saladas e pratos sem sabor, muito rotineiros. Vamos desmitificar.

Quando tomamos a opção de mudar os nossos hábitos alimentares temos que pensar que não pode faltar variedade e que deve contemplar todos os nutrientes que necessitamos.Uma alimentação equilibrada deve ser constituída maioritariamente por hidratos de carbono (até 65% do total de calorias ingeridas) e por quantidades menores de gordura e proteínas (cada uma não deve ultrapassar os 35% do total do valor calórico diário).

Vamos deixar 5 dicas para uma alimentação mais saudável, sendo também as principais para se começar uma mudança de forma sustentada:

  1. Regra de ouro: um bom pequeno-almoço. É a refeição principal, pois quebra longas horas de jejum e fornece a energia para todo o dia. Existem mil opções…
  2. Mínimo de 5 refeições diárias. Não se deve estar muito tempo sem comer. O ideal entre 2 a 3 horas, fazer pequenas refeições, ingerindo os chamados snacks. Se estiver muito tempo em jejum, na refeição seguinte certamente vai ter mais fome, comerá mais e terá tendência para selecionar alimentos menos saudáveis.
  3. Mais vegetais, menos fruta.São ricos em nutrientes essenciais para o organismo, como as fibras, vitaminas e minerais, e não fornecem muitas calorias, visto serem pobres em gordura e em açúcar. É recomendada a ingestão de 3 a 5 porções por dia.
  4. Sopas.Geralmente, a sua base são os legumes e é pobre em gordura. Ligada à regra anterior. Uma excelente opção antes do prato principal, enche e aporta os nutrientes necessários.
  5. Qualidade dos alimentos.Opte por alimentos frescos, não processados. Qualidade nem sempre quer dizer quantidade, reduza o tamanho das porções ingeridas, pois comer em demasia origina a obesidade e esta traz consigo variadíssimas doenças.

Adotando estas regras simples e básicas, consegue-se começar um novo estilo de vida, com mais saúde e energia.

thumb.jpg

 

Super Alimentos

Escrevi este artigo para o site da F Magazine Luxury, e acho que mereciam que partilhasse convosco. 

Sabem que sou fã confessa de super alimentos, e que podem ajudar muito no rendimento e prevenção do nosso dia-a-dia.

Espero que gostem...

 

ABERTURA.jpg

 

 

Da perda de peso até à prevenção de doenças, a lista de efeitos associados aos chamados «superalimentos» em blogs e artigos na internet é impressionante.

O termo «superalimento» é usado para descrever produtos muito ricos em nutrientes e considerados especialmente benéficos para a saúde. Não se trata, no entanto, de uma definição científica, mas de uma nomenclatura empregue para fins comerciais.

Em 2007, a União Europeia proibiu o uso do termo em embalagens de alimentos, a não ser que houvesse uma referência a uma propriedade específica fundamentada em estudos de qualidade. Mas, independentemente das diversas opiniões, a paixão pelos superalimentos tem cada vez mais adeptos.

Comprovadamente detentores de doses extraordinárias de antioxidantes e de um sem número de benefícios para a saúde, os superalimentos não têm necessariamente de vir de longe e serem difíceis de encontrar. Muitos deles fazem parte da nossa alimentação diária, nós é que muitas vezes não lhes damos a devida atenção ou desvalorizamos todos os seus «superpoderes».

Os «superalimentos» são todos os que contêm um alto teor de nutrientes e elevados benefícios para a saúde. São naturais, inteiros, ricos em vitaminas, minerais, aminoácidos, ácidos gordos essenciais ou antioxidantes.

Os novos superalimentos:

  • Erva-de-trigo
  • Bagas de goji
  • Clorela
  • Sementes de cânhamo
  • Quinoa
  • Spirulina
  • Maca
  • Camucamu
  • Açaí
  • Sementes de chia

Os que temos tradicionalmente na nossa despensa:

 

  • Agrião
  • Kiwi
  • Orégãos
  • Couve-lombarda
  • Azeite
  • Batata doce
  • Canela
  • Castanha
  • Feijão
  • Cacau
  • Amendoim
  • Amora
  • Mirtilos
  • Romã
  • Morango
  • Tomate
  • Polvo
  • Grão-de-bico
  • Ovo
  • Cenoura
  • Camarão
  • Ameijoa
  • Aveia
  • Cebola
  • Iogurte
  • Pinhão
  • Alho (cru)

 

Quais utilizam mais aí em casa?